Página Inicial   >   out_site

CABIDE MENTAL Yoani Sánchez e o radicalismo bocó

19/02/2013 por René Zamlutti Jr.

Yoani Sanchéz: "traidora", "vendida",
"agente dos EUA", mercenázzzzzz...

 

A blogueira cubana Yoani Sánchez, que escreve o conhecidíssimo (fora de Cuba) Generación Y, desembarcou ontem no aeroporto de Recife. O Brasil é a primeira parada da blogueira, que passará por uma série de outros países para discutir as questões sobre as quais escreve em seu blog, cujo tema principal é a crítica à realidade cubana.

     A chegada da blogueira, tanto no aeroporto de Recife quanto, mais tarde, no de Salvador, foi marcada por protestos de manifestantes favoráveis ao regime cubano. Yoani foi chamada de "mercenária", "traidora" e "personalidade falsificada", a serviço da CIA e dos EUA, dentre outras coisas.  Em Recife, manifestantes chegaram a puxar o cabelo da blogueira. Ela não apenas não se incomodou com os protestos, como deu uma resposta interessante: "Foi um banho de democracia e pluralidade, estou muito feliz e queria que em meu país pudéssemos expressar opiniões e propostas diferentes com esta liberdade."
     Ontem, em Feira de Santana, seria exibido na Casa do Saber (um planetário cedido pela prefeitura) o documentário "Conexão Cuba Honduras", do cineasta baiano Dado Galvão. Yoani Sánchez, que está no documentário, estava presente. Mas manifestantes invadiram o salão e impediram a exibição. A blogueira teve de ser recolhida a uma sala fechada, de onde só conseguiu sair após mais de vinte tentativas frustradas. Os militantes já avisaram que estão se organizando e que protestos ocorrerão nas demais aparições de Yoani Sánchez em outras cidades.
     É a primeira viagem internacional que a blogueira faz desde 2008, quando, após voltar a Cuba, foi proibida de deixar o país.
    Em política, há poucas situações em que o radicalismo se justifica. Devemos ser absolutamente radicais contra ditaduras, tiranias e governos que violam direitos humanos e fundamentais de seus cidadãos. Devemos ser radicais contra a corrupção, e na exigência de que os poderes públicos se submetam às leis por eles criadas. Não devemos, em hipótese alguma, ser radicais contra pessoas que têm posições políticas diferentes das nossas.
     Yoani Sánchez é severamente criticada por suas posições políticas, e não há nada de errado nisso. Todo argumento é sujeito a críticas - se bem ou mal fundamentadas, é outra questão. Mas o radicalismo que leva um grupo de manifestantes a impedir a exibição de um filme e a agredir fisicamente alguém de cujas ideias discordam é o reflexo mais evidente de uma intolerância inaceitável em regimes democráticos (pergunto-me como essas pessoas agiriam se estivessem no poder).
     Critica-se o fato de Yoani Sánchez receber um um salário da SIP (Sociedade Interamericana de Imprensa) e ter um padrão de vida superior ao dos demais cubanos - como se essa situação lhe impedisse de discutir o que quer que ela queira discutir em seu blog. Chamam-na de traidora - mas traidora de quê ou de quem? Afirma-se que ela serve a interesses dos EUA. Talvez sirva, talvez não. Se servir, é direito dela fazê-lo. É direito dela, inclusive, adorar os EUA e considerá-los o Éden na Terra - e assim se manifestar, se achar que deve. Acusam-na de promover desinformação. Mas não sei se seus críticos conhecem a realidade cubana tão bem - ou ao menos tão bem quanto ela, que mora lá - para fazer essa afirmação com tamanha certeza. E não nos esqueçamos de que "faturar o que é bom e esconder o que é ruim" (nas palavras imortalizadas por Rubens Ricupero em 1994, no famoso "escândalo da parabólica") é a estratégia de grande parte dos militantes políticos, tanto de esquerda quanto de direita. Sem contar que a desinformação é uma arma política usada por todos os regimes socialistas (Cuba, inclusive). Pelos capitalistas também, é claro, mas nenhum capitalista está acusando Yoani Sánchez de promover desinformação.
     Em suma, sejam bem ou mal formuladas (a maioria me parece bem tola, mas há vários questionamentos válidos e consistentes), as críticas à blogueira fazem parte do universo das ideias, e é assim que as coisas devem ser. Mas um radicalismo bocó, com agressões físicas e tentativas de impedir a exibição de filmes, não tem nenhuma utilidade, política ou ideológica. É só mais munição para o pensamento conservador que liga, automaticamente, o pensamento de esquerda ao autoritarismo. Ou seja, é burrice.
     E convenhamos, Yoani Sánchez não merece tudo isso. Embora seja um produto de marketing perfeito para a pós-modernidade (a moça de ar frágil que se ergue intrépida contra o governo tirano e malvado), embora seja uma celebridade mundial, seus textos não têm essa relevância toda. Alguns são interessantes, e só. Não passa muito disso. O radicalismo bocó, nesse sentido, lhe dá um ibope que seu blog, por si só, não sustentaria. Mais um ponto para ela.
     De resto, se você não gosta de Yoani Sánchez, ignore-a. Deixe-a escrever seus textos, fazer seus discursos e suas viagens (aliás, o simples fato - solenemente ignorado por seus detratores - de ela ter sido proibida pelo governo cubano de deixar o país por quatro anos já justifica algumas de suas críticas). Critique suas ideias (mas não precisa puxar seus cabelos), aponte suas incoerências e mostre, de forma racional e democrática, no que ela está errada.
     Também seria interessante que os críticos mais ferrenhos da blogueira passassem alguns anos em Cuba, sem acesso à internet, sem poder criticar o governo, sem poder deixar o país e sem encontrar livros que o governo considera inadequados à população, dentre inúmeras outras restrições (sempre achei curioso o fato de que celebridades que defendem o regime cubano, como Chico Buarque, Niemeyer e Saramago, nunca se dispuseram a abandonar seus próprios países para viver a utopia socialista na própria pele). Alguém que conhecesse essa realidade de perto poderia, com mais propriedade, defender as vantagens do regime - caso não mudasse de ideia.

Comentários

  • arc
    20/02/2013 10:14:03

    Essa mulher me lembra o jogador Rebato Gaúcho na época da final do Campeonato Brasileiro de 1991, quando foi no churrasco , promovido pelo centro-avante rubro-negro Gaúcho, para comemorar a vitória no Flamengo no 1º jogo por 3x0, quando o Renato não jogou nada, perdeu gols feitos, atrapalhou jogadas de ataque e errava passes de 1 metro. Essa Yoani, para mim, é a "Renata Gaúcha" de Cuba, numa analogia com o Botafogo. Aliás, Cuba? - Seria aquele paisinho de m... que sofre um monstruoso e medonho isolamento e bloqueio econômico e militar há mais de 50 anos? - Seria aquele paisinho de m..., que, lembrabdo a canção "Guantanamera", teve sua soberania violada com a invasão e ocupação de seu território de Guantânamo? Seria aquele paisinho de m... que sofre um monstruoso e medonho bloqueio econômico e militar há mais de 50 anos? - Seria aquele paisinho de m... e sem liberdade que na última manifestação contra o embargo econômico e de apoio ao Governo reuniu mais de 1 milhão e 300 mil pessoas em Havana? - Seria aquele paisinho de m... que na década de 80 , quando o Governo Cubano, ainda sob a liderança do Comandante Fidel Castro liberou os portos de Cuba para quem quisesse sair do país, e muitos cubanos invadiram embaixadas como da do Mécio e Perú, por exemplo; logo após o fechamento dos portos, houve uma manifestação popular em Havana com mais de 1 milhão e 500 mil pessoas, onde a única palavra de ordem gritada era "non queremos mierda"? - Seria aquele paisinho de m... que logo após a Revolução Cubana, nos primeiros atos do Governo Revolucionário expropriou e fez reforma agrária com a terras latifundiárias da própria famnília do Comandante Fidel Castro, dividindo a terra entre os campesinos (o que aliás levou Juanita Castro < http://www.jn.pt/PaginaInicial/Mundo/Interior.aspx?content_id=1401981 > , irmã de FIdel Castro ,a emigrar para os EUA e se tornar uma das maiores inimigas políticas do Governo Revolucionário de Cuba? - Seria aquele paisinho de m... que logo após a Revolução Cubana, tevce o seu líder e Presidente, Fidel Castro, se tornar o recordista mundial como vítima das tentativas de assassinato pela C.I.A.? - Seria aquele paisinho de m... que, apesar de todos o bloqueio que sofre dos EUA e seus aliados, é considerado o país com os médicos mais qualificados do mundo e com uma das medicinas mais avançadas do mundo ( vide < http://www.youtube.com/watch?v=VoBleMNAwUg >)? Aliás, enviando médicos a outros países da Africa e América Latina (inclusive o próprio Brasil) para ajudar nas endemias e epidemias e outras necesidades médicas. - Seria aquele paisinho de m... que, apesar de todos o bloqueio que sofre dos EUA externimou a miséria e não tem um (01) único cidadão sequer passando fome, nem sem assistência médica decente; nem seus aliados, é considerado o país com os médicos mais qualificados do mundo e com uma das medicinas mais avançadas do mundo ( vide < http://www.youtube.com/watch?v=VoBleMNAwUg >)? - Seria aquele paisinho de m... que, apesar de todos o bloqueio que sofre dos EUA não possui analfabetismo e todos tem direito de acesso ao Ensino Superior de qualidade, independente de origem e independente de quotas raciais? - Seria aquele paisinho de m... que tem um parlamento democraticamente eleito por eleições diretas, mas que não tem parlamentares profissionais, sendo que os mesmo recebem apenas uma ajuda de custo mensal de 200 pesos cubanos ( equivalente a R$ 390,00); enquanto aqui no Brasil bem sabemos quanto ganham os parlamentares? < http://www.ifil.org/Biblioteca/Jimenez.htm> - Seria aquele paisinho de m... onde o sistema de vereança municipal está organizado por Distritos (bairros e localidades do município), denominados Comites de defesa da Revolução e os vereadores eleitos exercem suas atribuições municipais sem remuneração? - Seria aquele paisinho de m... que não se tem notícia de crimes de roubo e assaltos como problema social ? - Seria aquele paisinho de m... que não se tem notícia de que os índices de crimes de violência e de homicídio são insignificantes? - Seria aquele paisinho de m... onde se algum governante ou parlamentar foi condenado por corrupção, via de regra tem como pena a morte no paredão por pelotão de fuzilamento (que, dera se no Brasil fosse assim...)? - Seria aquele paisinho de m... onde uma sujeita, ao melhor estilo de como nós botafoguenses nos sentimos em relação ao que Renato Gaúcho fez com o Botafogo em 1991, recebeu assistência familiar, educacional, social e médica, desde o nascimento, até sua formação profissional como adulta, apesar de tudo que acima se disse; e ainda assim ela prefere ser uma porta-vóz do maior inimigo de sua pátria e Terra Natal, a qual ataca com base em distorções fáticas e ainda defende idéias burguesas e americanistas de "liberdade", quando Cuba foi feita de "quintal do EUA" durante a ditadura de Fulgêncio Batista e cujo povo, na História da Humanidade, foi dos mais explorados reprimidos e vítimas de patrulhamento ideológico ideológico , tortura, sequestro e homicídio por orgãos militares e paramilitares do Governo Batista; tudo a serviço dos interesses dos EUA? E, tudo isso, se não bastasse o massacre ideológico sistemático que já feito a Cuba pela imprensa burguesa mundial, capitaneada pela grande-imprensa americana. - Seria Cuba esse pasisinho de m...? - É de Cuba que estamos falando? - Então essa sujeita mesquinha, traidora e antipatriota nada tem a me dizer que eu já não saiba. Não quero saber dela, nem tenho comentários a fazer sobre o que ela possa ter a dizer.

  • julio chaves de mello
    19/02/2013 20:01:18

    Doce Señora Yoani Sanches, venha de onde vier, chegue de onde chegar, seja sempre, e para todo o sempre, bem vinda...só o debate, apenas o diálogo constrói... toda minha modesta solidariedade a sua presença, e perdoe nossos "conterrâneos" e a nossa "esquerda" que ainda vive no jurássico ideológico dos regimes de opressão. Como esta nossa esquerda me envergonha...fico imaginando estes caras no poder diante de tamanho radicalismo...eu iria ser crucificado como traidor em plena praça, deixado ao sabor dos urubus......mais atrasados impossível... que contradição violenta!!! Fala sério!!!

BEM-VINDO À CARTA FORENSE | LOG IN
E-MAIL:
SENHA: OK esqueceu?

RENÉ ZAMLUTTI JR.

René Zamlutti Jr.

 

Procurador do Estado de São Paulo, especialista, mestre e doutor em Direito Constitucional pela PUC/SP e professor da USJT e da EBRADI - Escola Brasileira de Direito. 

Autor do Blog: CABIDE MENTAL

NEWSLETTER

Receba nossas novidades

© 2001-2019 - Jornal Carta Forense, São Paulo

tel: (11) 3045-8488 e-mail: contato@cartaforense.com.br