Página Inicial   >   Notícias

Alimentos Negado habeas corpus a pai preso por inadimplência de pensão alimentícia

04/03/2013 por ASCOM-TJ/DF

A 1ª Turma Cível do TJDFT negou habeas corpus a pai preso por dever parcelas referentes ao ano de 2009 da pensão alimentícia da filha do primeiro casamento. A prisão foi decretada depois de várias tentativas de acordos, os quais o devedor deixou de honrar.

Consta do pedido de liberdade que o autor ficou desempregado no ano de 2012, motivo pelo qual ficou inadimplente com a pensão alimentícia. Além disso, segundo sua advogada, o devedor teria contraído novo matrimônio e tornara-se pai novamente, o que agravara sua situação financeira.

Ao analisar o habeas corpus, a Turma julgou legal a decretação da prisão. De acordo com o órgão colegiado, por se tratar de restrição ao direito fundamental de liberdade de ir e vir, a prisão civil configura exceção, conforme disposto na Constituição Federal (artigo 5º, inciso LXVII). Pela regra constitucional, haveria apenas duas possibilidades de prisão civil por dívidas: para o devedor voluntário de alimentos e para o depositário infiel.  Porém, segundo o relator esclareceu em seu voto, a partir da Emenda Constitucional nº 45/2004 novo panorama para os acordos e as convenções internacionais foi inaugurado. Desde então, o entendimento pacífico do STF é de que a prisão civil por dívida restringe-se apenas à hipótese de descumprimento voluntário de prestação alimentícia e não mais ao depositário infiel.

A decisão da Turma foi unânime no sentido de que: “A prisão civil pelo não pagamento de pensão alimentícia não consubstancia pena ou represália, mas meio processual de coerção ao pagamento da dívida reconhecida em juízo”.

Processo: segredo de justiça

Tags: Alimentos

Comentários

© 2001-2019 - Jornal Carta Forense, São Paulo

tel: (11) 3045-8488 e-mail: contato@cartaforense.com.br