Página Inicial   >   Entrevistas

ENTREVISTA CONCURSOS Minha trajetória nos concursos

Em que momento decidiu se enveredar pelos concursos públicos?

Desde o início da faculdade, estabeleci a meta de fazer concurso público. Sou filha de militar, de família humilde, e aprendi com meus pais que se eu tivesse uma boa formação e seguisse uma carreira pública, poderia ter uma vida simples, mas com dignidade, e melhor do que a que eles tiveram. Eles também me ensinaram o poder transformador da educação e da disciplina, e eu sabia que se me dedicasse com afinco, seria uma questão de tempo até a aprovação chegar.

Quanto tempo demorou para ser aprovada no primeiro concurso?

Fiz faculdade pública (Universidade do Estado do Rio de Janeiro), mas precisava trabalhar para custear minhas despesas. Assim, somente no último ano do curso, deixei o trabalho e intensifiquei os meus estudos. Foi um período muito difícil porque eu sou a primogênita de uma família de cinco filhos, e meus irmãos ainda estavam estudando. Fiz concurso para o cargo de Analista do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro quando estava concluindo o último período da faculdade, e fui aprovada, mas não fui logo chamada.

Terminado o curso de Direito, me inscrevi em outros concursos, entre eles o da Marinha do Brasil (MB). Assim, acho que demorou cerca de um ano desde o momento em que passei a estudar mais voltada para os concursos (no início do último ano da faculdade) até a minha primeira aprovação. Fui nomeada para o Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro no início de 2000, mas não cheguei a tomar posse no cargo de  analista porque optei pela carreira militar.

A senhora sofreu alguma cobrança de familiares e amigos pelo resultado pretendido?

Não, recebi muito apoio da minha família e de meus amigos. Meus pais dedicaram os poucos recursos que tinham à nossa educação, que sempre foi considerada prioridade. Tivemos uma vida muito simples, mas o estudo foi constantemente incentivado. Sei que muitas vezes os incomodei com os livros e cadernos espalhados pela casa, com os pedidos de silêncio, e com a falta de tempo para os encontros de família. Mas eles compreenderam e foram grandes motivadores; ficavam na torcida para que o resultado fosse alcançado. Eles tinham tanta confiança em mim que eu passei a acreditar que ia conseguir.

Como é a prova para a carreira de Oficial do Quadro Técnico/ Direito da Marinha do Brasil? Quais são as matérias que caem no concurso?

O processo seletivo para a carreira de Oficial Bacharel em Direito do Quadro Técnico do Corpo Auxiliar da Marinha é realizado em três fases, sendo a primeira delas a Seleção Inicial; a segunda, o curso de Formação de Oficiais; e a terceira, o Estágio de Aplicação.

Na Seleção Inicial, candidato fará duas etapas de provas escritas. A primeira delas é constituída por uma prova de expressão escrita (redação dissertativa, de caráter eliminatório) e uma prova escrita objetiva de conhecimentos profissionais (com cinqüenta questões objetivas, de caráter eliminatório e classificatório), realizadas no mesmo dia. As matérias exigidas nessa primeira etapa são: Direito Constitucional; Direito Administrativo; Direito Administrativo Militar; Direito Civil; Direito Processual Civil; Direito Penal; Direito Processual Penal; Direito Penal Militar; e Direito Processual Penal Militar. Já na segunda etapa, o candidato realiza uma prova escrita discursiva de conhecimentos profissionais (onde deverá redigir uma peça processual ou um parecer, e responder a quatro questões discursivas, de caráter eliminatório e classificatório). Nessa segunda etapa, são exigidas as seguintes matérias: Direito Constitucional, Direito Administrativo e Direito Administrativo Militar, bem como os aspectos do Direito Processual correspondente. Além das provas mencionadas, na Seleção Inicial, os candidatos serão submetidos a outros exames: Seleção Psicofísica, Teste de Suficiência Física e Verificação de Dados Biográficos. Os aprovados e classificados farão o Curso de Formação de Oficiais no Centro de Instrução Almirante Wandenkolk (CIAW), na cidade do Rio de Janeiro, com duração de trinta e três semanas. Posteriormente, farão o Estágio de Aplicação, com duração de seis semanas, após o qual serão  nomeados Primeiros-Tenentes do Quadro Técnico do Corpo Auxiliar da Marinha do Brasil. Mais informações sobre o processo seletivo, bem como o edital do último concurso e provas anteriores podem ser obtidos no site da Diretoria de Ensino da Marinha: www.ensino.mar.mil.br.

Como é conciliar a vida do Operador do Direito com a vida militar?

As atividades exercidas pelo Oficial Bacharel em Direito são muito semelhantes àquelas desenvolvidas pelo Operador do Direito em outros setores da Administração Pública, uma vez que a sua atuação estará voltada para auxiliar à Administração Naval no cumprimento da Constituição, das Leis e das demais normas relacionadas à atividade militar. Nesse sentido, as Forças Armadas, assim como os demais órgãos da Administração Pública, estão sujeitas aos princípios constitucionais e administrativos que devem ser observados na atuação de suas autoridades. Essas tarefas são perfeitamente conciliáveis com as particularidades da vida militar, como observar a hierarquia e disciplina, as obrigações e os deveres militares, participar de cerimônias, entre outros.

Qual metodologia de estudo a senhora usou?

Na verdade, sempre procurei aproveitar todas as aulas que tive, desde a formação básica. Sabia do esforço que meus pais faziam para que pudéssemos ter uma boa educação, e procurei corresponder me dedicando aos estudos. Quando terminei o nível médio, comecei a faculdade à noite e trabalhava durante todo o dia. Assim, não sobrava muito tempo para estudar. Procurava assistir às aulas com atenção, e complementava as anotações de sala de aula com a leitura de alguma doutrina sobre a matéria. Tinha sempre um livro ou um artigo na bolsa para ler durante o tempo que passava no transporte, no almoço e nas aulas vagas da faculdade. E quando podia, fazia algum curso preparatório para concurso aos sábados.

Mas foi só no último ano da faculdade, quando parei de trabalhar, que eu pude me dedicar com mais empenho. Entrei num curso preparatório pela manhã, para conseguir suprir as deficiências de algumas disciplinas; fazia estágio à tarde; e ia para a faculdade à noite. Estudava sábados e domingos quase o dia inteiro. Quando terminou a graduação, passei a me dedicar mais ao concurso da MB, e preparei um calendário para tentar estudar toda a matéria do edital até a data da prova. Saía do curso preparatório que estava fazendo, almoçava, e estudava em casa das 14h até 22h. Quando passei para a segunda etapa (na minha época, a segunda prova era oral), deixei o curso preparatório e passei a estudar na biblioteca de uma universidade perto da minha casa, diariamente, das 8h às 22h, durante uns três meses. Lia os livros, fazia resumos e esquemas, e treinava fazendo provas de concursos anteriores. Nessa época, praticamente não saía de casa, e só deixava de estudar nos domingos à tarde.

Depois de aprovado, qual é a rotina de um Oficial do Quadro Técnico/Direito da Marinha do Brasil?

Os Oficiais do Corpo Auxiliar da Marinha, no qual está inserido o Quadro Técnico, exercerão cargos técnico-administrativos que visem às atividades de apoio técnico e às atividades gerenciais e administrativas em geral. No caso do Oficial Bacharel em Direito, ele prestará esse apoio técnico auxiliando as autoridades navais na análise da legalidade e da legitimidade dos atos administrativos praticados; na elaboração e revisão das normas internas; na elaboração dos processos de licitação que serão enviados à Consultoria Jurídica da União para a emissão de Parecer; e na elaboração das informações a serem prestadas ao Órgão Regional da Advocacia-Geral da União responsável pela representação da União em Juízo nas ações propostas contra as autoridades navais, ou contra a União, questionando atos da Administração Naval. Além disso, ele poderá atuar orientando as atividades de polícia judiciária militar, em especial a condução das prisões em flagrante, dos Inquéritos Policiais Militares, e das instruções provisórias de deserção.

Em decorrência da função, este cargo está tão sujeito à mudança de domicílios como outros cargos da Marinha?

Sim. As Organizações Militares da MB estão distribuídas pelo território nacional, e a necessidade de apoio técnico administrativo se faz presente em todas elas. Essa é uma grande oportunidade de conhecer um pouco mais o nosso País.

O que deve esperar o concursando na hora de optar por esta carreira?

A carreira militar do Oficial Bacharel em Direito do Quadro Técnico do Corpo Auxiliar da Marinha do Brasil consegue aliar o desempenho de atividades que exigem conhecimento jurídico ao dinamismo e aos desafios que são inerentes à vida militar. Além disso, oferece a possibilidade de atuar em áreas diferentes do Direito, o que é um estímulo para que o Oficial busque ampliar cada vez mais os seus conhecimentos. Vale ressaltar, ainda, que a MB incentiva o aprimoramento profissional dos seus Oficiais, por meio da participação em Cursos, Seminários e Programas de Pós-Graduação (Lato Sensu e Stricto Sensu), o que representa um grande fator de motivação. Por fim, cabe mencionar que fazer parte de uma instituição que cumpre um papel tão importante para o Brasil, e que goza de um alto índice de aprovação e confiança do povo brasileiro, como é o caso da Marinha, é motivo de muito orgulho e de grande realização profissional.

Comentários

  • Mr. Diego
    25/07/2014 15:09:24

    Parabéns, pretendo ingressar na MB no quadro técnico/TI. :) se Deus quiser vou conseguir!!!

  • Vânia Vieira
    09/09/2013 11:08:26

    Querida, parabéns por sua força de vontade e dedicação. Estou a procura de um curso para este concurso. Você tem algum bom pra me indicar? Acontece que não acho um que seja especialista na área do direito. Obrigada

  • Julian Joseph
    22/02/2013 16:38:30

    Parabéns pelo sucesso. Sua história de vida é uma estímulo para nós que lutamos diariamente para conseguirmos a tão sonhada aprovação nas fileiras da Marinha (QT/Direito). Sucesso e se Deus quiser um dia nós também estaremos lá.

  • Luiz Roberto Leite da Silva
    03/08/2012 11:30:43

    Fico muitíssimo feliz por você, Karina, ter conseguido o sucesso na sua vida e na sua carreira. Que Deus sempre ilumine o seu caminho e de sua família, pois aqui somos testemunhas do seu esforço e dedicação para atingir tal sucesso. Um beijo com muito respeito e carinho. Sucessos.

BEM-VINDO À CARTA FORENSE | LOG IN
E-MAIL:
SENHA: OK esqueceu?

ANGÉLICA KARINA DE AZEVEDO CAÚLA E SILVA

Angélica Karina de Azevedo Caúla e Silva

Capitão-de-Corveta da Marinha do Brasil. Oficial do Quadro Técnico/ Direito

NEWSLETTER

Receba nossas novidades

© 2001-2017 - Jornal Carta Forense, São Paulo

tel: (11) 3045-8488 e-mail: contato@cartaforense.com.br