Página Inicial   >   Colunas

Língua Portuguesa Qualidades da Boa Linguagem - Parte III

03/05/2006 por Eduardo de Moraes Sabbag

Qualidades da Boa Linguagem - Parte III

Este é o terceiro artigo (Parte III) sobre a necessidade de linguagem castiça na construção do texto jurídico. Conforme já enfatizamos, os fatores que influem positivamente no processo da comunicação verbal são: correção gramatical, concisão, clareza, precisão, naturalidade, originalidade e harmonia. Em abono da didática, dividi a exposição em três partes: nas Partes I e II, foram analisados os seguintes fatores: a "correção gramatical", a "concisão", a "clareza" e a "precisão". Nesta Parte III, ative-me à "originalidade" e à "harmonia".

 

A originalidade é qualidade inata ao escritor, um dom natural, é o "ser você mesmo". Revela o estilo de cada um e, como já dizia George-Louis Leclerc de Buffon, escritor e naturalista francês do século XVIII, "o estilo é o próprio homem".

 

A originalidade deriva da ...

 


Comentários

BEM-VINDO À CARTA FORENSE | LOG IN
E-MAIL:
SENHA: OK esqueceu?

EDUARDO DE MORAES SABBAG

Eduardo de Moraes Sabbag

Advogado, Professor e Autor de Obras Jurídicas, entre elas o "Manual de Direito Tributário" pela Editora Saraiva; Doutor em Direito Tributário, pela PUC/SP; Doutorando em Língua Portuguesa, pela PUC/SP; Professor de Direito Tributário, Redação e de Língua Portuguesa. Site e Redes Sociais: professorsabbag.

Site | Facebook / Twitter

NEWSLETTER

Receba nossas novidades

© 2001-2019 - Jornal Carta Forense, São Paulo

tel: (11) 3045-8488 e-mail: contato@cartaforense.com.br