Página Inicial   >   Colunas

Crônicas Forenses O PRESENTE

02/12/2016 por Roberto Delmanto

 

Embora idoso, o criminalista, gozando de excelente saúde física e mental, continuava em plena atividade, mais competente, perspicaz e experiente de que nunca.Aliás, dizem que  o único defeito que não aumenta com o tempo é a inexperiência...

 

Um juiz aposentado, envolvido injustamente em grave processo, denunciado que fora por um antigo colega, seu desafeto, pediu-lhe que o defendesse.

 

O criminalista aceitou a causa e depois de uma longa e difícil   instrução judicial, conseguiu a sua absolvição, que foi confirmada unanimemente em Segunda Instância.

 

Em virtude da amizade que tinha com o antigo magistrado, resolveu não cobrar honorários.

 

Este ofereceu-lhe, então, um tentador e inusitado presente.

 

Em uma noite estrelada e de lua cheia, o advogado e a esposa dariam uma volta de helicóptero pela cidade de São Paulo iluminada, que depois pousaria em um hotel 5 estrelas. Ali, após um jantar cordon bleu, passariam a noite na melhor suíte.

 

Foi quando a mulher do criminalista, também idosa, ponderou ao marido que se fizessem tudo aquilo, na manhã seguinte certamente iriam para um hospital...

 

O advogado resolveu declinar, então, do presente, que foi substituído por uma caixa de um excelente vinho tinto francês. O qual, se degustado com parcimônia, além de fazer bem ao coração, não tem efeitos colaterais.

Comentários

BEM-VINDO À CARTA FORENSE | LOG IN
E-MAIL:
SENHA: OK esqueceu?

ROBERTO DELMANTO

Roberto Delmanto

Advogado criminal, é autor dos livros Código Penal Comentado, Leis Penais Especiais Comentadas, O Gesto e o Quadro, A Antessala da Esperança, Momentos de Paraíso-memórias de um criminalista e Causos Criminais, os quatro primeiros pela Saraiva e os demais pela Renovar”

NEWSLETTER

Receba nossas novidades

© 2001-2019 - Jornal Carta Forense, São Paulo

tel: (11) 3045-8488 e-mail: contato@cartaforense.com.br