Página Inicial   >   Colunas

CRÔNICAS FORENSES LAZIO 3 x 0 ROMA

03/03/2015 por Roberto Delmanto

Filho de imigrante italiano, meu pai Dante falava fluentemente o idioma. Quando viajava para a Itália, todos pensavam que fosse natural daquele país. Na minha infância e adolescência,  contudo, nunca ouvi em casa uma única palavra sua em italiano. Acho que assim agia por orgulhar-se de aqui ter nascido.

 

Talvez tenha sido também esse o motivo pelo qual, ao ser eleito aos 25 anos de idade o presidente mais jovem da história do Palmeiras, então Palestra Itália, uma de suas primeiras providências foi determinar que as atas das reuniões da diretoria passassem a ser redigidas em português e não mais em italiano.Como criminalista, em nosso escritório, só o ouvia conversar em italiano esporadicamente, com algum cliente dessa nacionalidade. Daí porque, eu sabia apenas algumas palavras no belo idioma peninsular.

 

Certa vez, defendi um empresário italiano. Apesar dele conhecer pouco a língua portuguesa, adquiriu uma fábrica de tecidos brasileira e nela fez grandes investimentos. O negócio fracassou e ele foi à falência.
Pior ainda: acabou, injustamente, sendo denunciado por crimes falimentares.

 

Indicado por um colega civilista, impetrei em seu favor um habeas corpus que foi unanimemente concedido pelos três Desembargadores de uma das Câmaras Criminais do Tribunal de Justiça de São Paulo, que trancaram a ação penal por falta de justa causa. Saindo do tribunal, apressei-me em telefonar para o cliente, que estava na Itália, a fim de dar-lhe a boa notícia. Eu não falando italiano e ele não entendendo bem o português, a comunicação estava difícil e o cliente não compreendia  o que tinha acontecido.

 

Até que, me lembrando que ele fora diretor da Lazio, clube de futebol que é o grande rival da Roma, ambos da capital, tive um insight e lhe disse em italiano: Lazio tre x Roma zero (Lazio três, Roma zero). O cliente de imediato entendeu que havíamos ganho a causa por votação unânime, caiu na risada e efusivamente me agradeceu: grazie mille, avvocato (muitíssimo obrigado, advogado)!No ano seguinte, resolvi começar a estudar italiano...

Comentários

BEM-VINDO À CARTA FORENSE | LOG IN
E-MAIL:
SENHA: OK esqueceu?

ROBERTO DELMANTO

Roberto Delmanto

Advogado criminal, é autor dos livros Código Penal Comentado, Leis Penais Especiais Comentadas, O Gesto e o Quadro, A Antessala da Esperança, Momentos de Paraíso-memórias de um criminalista e Causos Criminais, os quatro primeiros pela Saraiva e os demais pela Renovar”

NEWSLETTER

Receba nossas novidades

© 2001-2019 - Jornal Carta Forense, São Paulo

tel: (11) 3045-8488 e-mail: contato@cartaforense.com.br