Página Inicial   >   Colunas

Berço Jurídico Dr. Rubem Fonseca

04/09/2006 por Carta Forense
Nascido em Juiz de Fora, Minas Gerais, em 11 de maio de 1925, José Rubem Fonseca é formado pela Faculdade Nacional de Direito, atual UFRJ, tendo exercido várias atividades antes de dedicar-se inteiramente à literatura. Em 31 de dezembro de 1952 iniciou sua carreira na polícia, como comissário, no 16º Distrito Policial, em São Cristóvão, no Rio de Janeiro, enquanto esperava os anos necessários para ser juiz, pretensão esta abandonada posteriormente.

 Muitos dos fatos vividos naquela época e dos seus companheiros de trabalho estão imortalizados em seus livros. Aluno brilhante da Escola de Polícia, não demonstrava, então, pendores literários. Zé Rubem via, debaixo das definições legais, as tragédias humanas e conseguia resolvê-las. Nesse aspecto, afirmam, ele era admirável. Escolhido, com mais nove policiais cariocas, para se aperfeiçoar nos Estados Unidos, entre setembro de 1953 e março de 1954, aproveitou a oportunidade para estudar administração de empresas na New York University. Após sair da polícia, Rubem Fonseca trabalhou na Light até se dedicar integralmente à literatura. É viúvo e tem três filhos.

Foi, ao longo de sua carreira, agraciado com inúmeros prêmios literários. Dedicou-se também a escrever roteiros de filmes, muitos deles premiados.

LIVROS PUBLICADOS NO BRASIL:

Os prisioneiros, A  coleira do cão (contos, 1965), Lúcia McCartney (contos, 1967), O caso Morel (romance, 1973), Feliz Ano Novo (contos, 1975), O homem de fevereiro ou março (antologia, 1973), O cobrador (contos, 1979), A grande arte (romance, 1983), Bufo & Spallanzani (romance, 1986), Vastas emoções e pensamentos imperfeitos (romance, 1988), Agosto (romance, 1990), Romance negro e outras histórias (contos, 1992), O selvagem da ópera (romance, 1994), Contos reunidos (contos, 1994), O Buraco na parede (contos, 1995), Histórias de Amor (contos, 1997), Confraria dos Espadas (contos, 1998), O doente Molière (novela, 2000), Secreções, excreções e desatinos (contos, 2001),Pequenas criaturas (contos, 2002), Diário de um Fescenino (contos, 2003) e 64 Contos de Rubem Fonseca (contos, 2004)

PRÊMIOS LITERÁRIOS: Pen Club do Brasil,  A coleira do cão;Fundação Cultural do Paraná,  Lucia McCartney; Fundação Cultural de Brasília,  Lucia McCartney; Jabuti (Conto), da Câmara do Livro de São Paulo, A coleira do cão; Associação Paulista de Críticos de Arte,  O cobrador; Prêmio Estácio de Sá, O cobrador; Prêmio Goethe (Brasil), A grande arte; Jabuti (Romance) A grande arte; Prêmio Pedro Nava do Museu de Literatura,  Vastas Emoções e Pensamentos Imperfeitos; Prêmio Giuseppe Acerbi (Mantova, Itália),  Vaste emozione e pensie imperfet; Jabuti (Conto) O buraco na parede; Prêmio Machado de Assis (Biblioteca Nacional),  E do meio do mundo prostituto só amores guardei ao meu charuto; Prêmio Eça de Queiroz (contos) da União Brasileira de Escritores,  A confraria dos Espadas; Prêmio de melhor romance do ano, da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA), para O doente Molière (2000); Prêmio Luis de Camões, considerado o "Nobel" da língua portuguesa, concedido pelos governos do Brasil e Portugal, pelo conjunto da obra, anunciado em 13-05-2003;          
14º Prêmio de Literatura Latinoamericana e Caribe Juan Rulfo, concedido durante a Feira Internacional do Livro de Guadalajara - México, em 2003.


Comentários

BEM-VINDO À CARTA FORENSE | LOG IN
E-MAIL:
SENHA: OK esqueceu?

CARTA FORENSE

Carta Forense

redação Carta Forense

NEWSLETTER

Receba nossas novidades

© 2001-2019 - Jornal Carta Forense, São Paulo

tel: (11) 3045-8488 e-mail: contato@cartaforense.com.br