Página Inicial   >   Colunas

Língua Portuguesa Aferindo a questão da FUVEST e auferindo o resultado positivo no vestibular...

01/12/2008 por Eduardo de Moraes Sabbag

No último dia 23, realizou-se a prova da FUVEST - o vestibular mais concorrido do Brasil -, destinado à seleção dos candidatos à Universidade de São Paulo (USP).

Entre as boas questões de Língua Portuguesa, uma se mostrou muito oportuna, merecendo os comentários aqui expendidos.

Trata-se da questão de número 25, abaixo reproduzida:

 

Dos termos sublinhados nas frases abaixo, o único que está inadequado ao contexto ocorre em:

 

a) O mundo está na iminência de enfrentar o recrudescimento da fome devido à escassez de alimentos.

 

b) Para atender a todos os interessados no concurso, foi preciso dilatar o prazo das inscrições.

 

c) Ao fazer cópias de músicas e filmes pela internet, é preciso ter cuidado para não infringir a lei.

 

d) O município que se tornou símbolo da emigração brasileira para os EUA tenta se adaptar ao movimento migratório inverso.

 

e) A cobrança de juros excessivos, com o objetivo de aferir lucro exagerado, desestimula o crescimento da produção.

 

 

 

Para o êxito no teste, deveria o candidato mostrar-se a par do fenômeno semântico conhecido por "paronímia". Neste segmento gramatical, afeto à significação das palavras, destacam-se os vocábulos "parônimos" - palavras de significação diferente, mas que possuem forma bem parecida, tanto na grafia, quanto na pronúncia.

 

Como se pode imaginar, as palavras parônimas provocam bastante confusão entre os usuários da língua, sendo bastante recomendável que o tema transite em questões de provas de vestibular, como a que ora propomos comentar.

 

Passemos à análise das alternativas, salientando que se deve escolher aquela cuja significação da palavra sublinhada não indique a acepção correta:

 

Alternativa A: O mundo está na iminência de enfrentar o recrudescimento da fome devido à escassez de alimentos.

O vocábulo "iminente" significa "aquilo que está prestes a ocorrer" (desabamento iminente), enquanto o termo "eminente" tem a acepção de "nobre, elevado, proeminente" (eminente escritor).

Nota-se, pois, que a frase apresenta-se CORRETA, quando se menciona "a iminência de enfrentar o recrudescimento da fome (...)", ou seja, a proximidade da situação mencionada.

 

Alternativa B: Para atender a todos os interessados no concurso, foi preciso dilatar o prazo das inscrições.

O verbo "dilatar" significa "ampliar, alargar ou estender" (O calor dilata o corpo). Assim, não se confunde com "delatar", na acepção de "acusar ou denunciar" (Ele delatou o próprio irmão). Vale destacar que dois outros verbos apresentam semelhanças: (1) "deleitar", no sentido de "deliciar, causar prazer" (O músico deleitava os ouvintes com sua canção), e (2) "deletar", como "anular, apagar, delir", aliás, vocábulo aceito pelo Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa, desde sua edição de 1999.

Nota-se, pois, que a frase apresenta-se CORRETA, quando se menciona "foi preciso dilatar o prazo (...)", ou seja, houve a necessidade de ampliação do prazo.

 

 

Alternativa C: Ao fazer cópias de músicas e filmes pela internet, é preciso ter cuidado para não infringir a lei.

O verbo "infringir", com a sílaba "FRIN-" significa "violar, desrespeitar" (O homem infringiu a norma), com a forma verbal na primeira pessoa do presente do indicativo (eu infrinjo). De outra banda, "infligir", com a sílaba "FLI-", tem a acepção de "aplicar pena, cominar" (O guarda infligiu a multa), com a forma verbal na primeira pessoa do presente do indicativo (eu inflijo).

Nota-se, pois, que a frase apresenta-se CORRETA, quando se menciona "(...) é preciso ter cuidado para não infringir a lei", ou seja, a necessidade de cuidado para não desrespeitar a lei.

 

 

Alternativa D: O município que se tornou símbolo da emigração brasileira para os EUA tenta se adaptar ao movimento migratório inverso.

O vocábulo "emigração" designa o "ato espontâneo de deixar o local de residência para se estabelecer numa outra região ou nação" (A emigração de libaneses para o Brasil é antiga e se intensificou na segunda metade do século XIX). A "imigração", por sua vez, é o "movimento de entrada de pessoas ou populações, de um país para outro, com ânimo permanente ou temporário, para trabalho ou residência" (Há vários documentários que retratam a imigração japonesa para o Brasil).

Nota-se, pois, que a frase apresenta-se CORRETA, quando se menciona "O município que se tornou símbolo da emigração brasileira para os EUA (...)", ou seja, o município que se tornou símbolo da saída de brasileiros em direção aos EUA.

 

Alternativa E: A cobrança de juros excessivos, com o objetivo de aferir lucro exagerado, desestimula o crescimento da produção.

O verbo "aferir" indica o ato de "avaliar ou cotejar medidas com os respectivos padrões" (O hospital aferiu que o custo médio do equipamento era elevado). Por outro lado, "auferir" tem a acepção de "ter como resultado, obter, conseguir" (A empresa auferiu vultosos lucros).

Nota-se, pois, que a frase apresenta-se INCORRETA, indicando a alternativa que deve ser assinalada no gabarito, pois, no lugar da frase "(...) o objetivo de AFERIR lucro exagerado (...)", deveria aparecer "(...) o objetivo de AUFERIR lucro exagerado (...)". Ressalte-se que o contexto apresentado não sinaliza que se quis "avaliar o lucro" (aferi-lo), mas, sobretudo, "obtê-lo" (auferi-lo), por meio da cobrança de juros excessivos, desestimulando o crescimento da produção.

 

Posto isso, para quem presta vestibulares, aferindo bem essa questão da FUVEST, será possível auferir o êxito desejado; para quem já os prestou, não é demais relembrar que "o aferir" de uma regra gramatical será sempre "o auferir" de resultados positivos no âmbito profissional.

Comentários

BEM-VINDO À CARTA FORENSE | LOG IN
E-MAIL:
SENHA: OK esqueceu?

EDUARDO DE MORAES SABBAG

Eduardo de Moraes Sabbag

Advogado, Professor e Autor de Obras Jurídicas, entre elas o "Manual de Direito Tributário" pela Editora Saraiva; Doutor em Direito Tributário, pela PUC/SP; Doutorando em Língua Portuguesa, pela PUC/SP; Professor de Direito Tributário, Redação e de Língua Portuguesa. Site e Redes Sociais: professorsabbag.

Site | Facebook / Twitter

NEWSLETTER

Receba nossas novidades

© 2001-2019 - Jornal Carta Forense, São Paulo

tel: (11) 3045-8488 e-mail: contato@cartaforense.com.br