Página Inicial   >   Colunas

Crônicas Forenses A Judoca

31/10/2007 por Roberto Delmanto

  

O aviador e a mulher eram casados há cerca de dez anos, tendo dois filhos pequenos.

 

Nos últimos tempos a vida em comum tornara-se insuportável, com agressões verbais constantes de parte a parte.

 

Certo dia, chegaram às vias de fato. Ela ficou bastante machucada, ele bem menos.

 

Da lamentável cena não houve testemunhas presenciais.

 

A esposa dizia que fôra covardemente agredida pelo marido. Este alegava ter sido ela que o agredira, tendo ele apenas se defendido.

 

Ao procurar-me para ser seu advogado, o aviador me garantiu que jamais poderia ter batido na mulher, por ser esta muito mais alta e forte do que ele, além de lutadora de judô. Acreditava que algum ou alguma colega de academia, de comum acordo com ela, a teria machucado após os fatos, para acusá-lo de agressão, dando base a uma ação de separação litigiosa, que realmente veio a ser proposta.

 

Apesar da ausência de prova testemunhal, o cliente foi denunciado, impressionado que ficara o Promotor com o número de lesões sofridas pela vítima e com a circunstância dela ser do sexo feminino.

 

Interrogado pelo Juiz, manteve ele, com veemência, a negativa da agressão.

 

No dia em que a ofendida foi ouvida em juízo as coisas mudaram. Quando ela entrou no sala de audiências, o contraste com o marido foi violento: ela tinha mais de 1,80 metros, era musculosa e muito forte; ele não passava de 1,65 metros, sendo magro e franzino.

 

O Promotor chamou-me de lado e me disse que iria pedir a absolvição do aviador por falta de provas. Eu desisti da oitiva das testemunhas de defesa e o Juiz absolveu-o na mesma hora.

 

Todos, afinal, haviam se convencido de que a acusação dele ter agredido a mulher era, na verdade, um crime impossível...

Comentários

BEM-VINDO À CARTA FORENSE | LOG IN
E-MAIL:
SENHA: OK esqueceu?

ROBERTO DELMANTO

Roberto Delmanto

Advogado criminal, é autor dos livros Código Penal Comentado, Leis Penais Especiais Comentadas, O Gesto e o Quadro, A Antessala da Esperança, Momentos de Paraíso-memórias de um criminalista e Causos Criminais, os quatro primeiros pela Saraiva e os demais pela Renovar”

NEWSLETTER

Receba nossas novidades

© 2001-2019 - Jornal Carta Forense, São Paulo

tel: (11) 3045-8488 e-mail: contato@cartaforense.com.br