Página Inicial   >   Colunas

Crônicas Forenses A caixinha

01/11/2005 por Roberto Delmanto
J.V., quando era um jovem delegado, foi uma das esperanças da polícia paulista: inteligente, perspicaz, corajoso, com raro tino investigativo e considerado incorruptível.


Graças a essas qualidades progrediu rapidamente na carreira. Meu pai Dante, de quem se tornara amigo, também muito o ajudou graças ao ótimo relacionamento que tinha com a cúpula policial de então.

À época poucas mulheres dirigiam carros e quando uma prima resolveu tirar habilitação, meu genitor preferiu que ela prestasse o exame em uma cidade da Grande São Paulo da qual J.V era o delegado. A tia saiu-se muito bem no teste de percurso, mas, ao fazer as balizas, teria derrubado a de trás se J.V, discretamente, não a segurasse com o pé.

Certa madrugada, quando já ocupava cargo importante na Capital, J.V. telefonou a meu pai muito aflito. Disse que era um caso de vida ou morte, e que precisava vê-lo imediatamente como advogado e amigo.

Meu genitor levantou-se da cama e, de robe de chambre, recebeu-o pouco depois em sua casa.

J.V. revelou-lhe, então, o drama por que passava. Há algum tempo tornara-se o responsável pela "caixinha" da polícia, o dinheiro da corrupção que os maus policiais costumavam coletar semanalmente. O montante se avolumara e ele resolveu se apropriar da mesma. Agora, estava sendo "intimado" a prestar contas.

Meu pai, entre decepcionado e surpreso, aconselhou-o a devolver a tal " caixinha", mas J.V a havia gasto em jogos de cartas, corridas de cavalos e mulheres "caras". Sabia que não seria denunciado, mas temia ser morto.

Não o foi, mas, desde então, nunca mais ascendeu profissionalmente, sendo sempre enviado para os piores lugares. Permaneceu no ostracismo até se aposentar e dele nunca mais se ouviu falar...

Comentários

BEM-VINDO À CARTA FORENSE | LOG IN
E-MAIL:
SENHA: OK esqueceu?

ROBERTO DELMANTO

Roberto Delmanto

Advogado criminal, é autor dos livros Código Penal Comentado, Leis Penais Especiais Comentadas, O Gesto e o Quadro, A Antessala da Esperança, Momentos de Paraíso-memórias de um criminalista e Causos Criminais, os quatro primeiros pela Saraiva e os demais pela Renovar”

NEWSLETTER

Receba nossas novidades

© 2001-2019 - Jornal Carta Forense, São Paulo

tel: (11) 3045-8488 e-mail: contato@cartaforense.com.br